jump to navigation

Música e Psicologia da Religião – a carência de “momentos de beleza” fevereiro 25, 2008

Posted by psicologiadareligiao in arte, MPB, Tillich.
trackback

Estou cada vez mais convencida de que “em geral, a arte não apenas parece antecipar com notável clareza as transformações já em curso, como também pode servir de instrumento para elucidar tais transformações” (Esperandio, 2007, p. 17). A arte “nos provoca, mexe com nossas emoções, nos invade, nos deixa boquiabertos, atinge nossas emoções e nos abala” (Calvani, C. online).

A música de João Alexandre, “É proibido pensar”, aponta com a graça da arte, os jogos de poder-saber que se configuram em muitas formas de expressão religiosa no Brasil. Ouça sua música e aproveite para refletir um pouco mais sobre Teologia e MPB, acessando o interessante texto de Carlos E. B. Calvani: “Momentos de beleza – Teologia e MPB a partir de Tillich”.

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: